Abgebildet ist ein Kreislauf einer Recycling Styroporverpackungsbox.

PARA MAIS RECICLAGEM

Notícia 20.09.2019

  1. Empresa
  2. Notícias
  3. Notícias 2019
  4. Para Mais Reciclagem

A STOROPACK REVELA PROTÓTIPOS FEITOS DE Styropor® Ccycled, A NOVA MATÉRIA-PRIMA RECICLADA QUIMICAMENTE

Embalagens de proteção de alta qualidade podem ser produzidas usando matéria-prima obtida por reciclagem química, o que foi demonstrado pela empresa especializada em embalagens de proteção Storopack, durante a fase piloto do projeto ChemCycling da BASF. Em uma conferência de imprensa, pouco antes da K 2019, a maior feira comercial da indústria do plástico e da borracha do mundo, a Storopack apresentou os primeiros protótipos deste projeto, juntamente com a BASF e três outras empresas parceiras, a Jaguar Land Rover, Südpack e Schneider Electric, no início de julho. A BASF selecionou a Storopack para testar a nova matéria-prima na produção de embalagens de EPS, a qual a Storopack usou para fabricar uma solução de sistema pré-qualificado para o transporte de produtos farmacêuticos sensíveis à temperatura, bem como um inovadora caixa isolante para o transporte de alimentos, tais como peixes frescos. Ambos os protótipos têm excelente desempenho geral, oferecendo o mesmo alto nível de qualidade que as soluções de embalagem da Storopack produzidas com EPS convencional. Eles também atendem os exigentes requisitos de higiene e asseguram a aplicação segura para alimentos.

Abrindo Novos Caminhos na Economia Circular
“O que realmente nos convenceu foi o fato de que Styropor® Ccycled pode ser usado para embalagens alimentícias. Já existem diversas opções de reciclagem para Styropor®, e o ChemCycling pode aumentar ainda mais o volume de reciclagem,” disse Hermann Reichenecker, Diretor Executivo da Storopack. O processo ChemCycling extrai gás de síntese ou óleo de pirólise de resíduos plásticos mistos. Ambos podem então ser usados como matéria-prima para a indústria química, por exemplo, para produzir Styropor® Ccycled, que oferece uma alternativa ao EPS convencional na produção das embalagens de proteção. Portanto, a reciclagem química representa uma alternativa mais sustentável à incineração e aterro, os quais ainda são permitidos em alguns países europeus. “Como resultado, ChemCycling também permite reciclar embalagens de styropor misturadas com outros plásticos contaminados. Ao lado da reciclagem mecânica, o ChemCycling também pode ajudar a fechar o ciclo dos materiais,” disse Klaus Ries, Vice-Presidente da Gestão Global de Negócios de Espumas de Estireno, da BASF. Os produtos são certificados ecoloop, prova de que contribuem para a economia circular usando resíduo plástico no processo de produção. Portanto, a Storopack e a BASF estão inovando juntas na reutilização de plástico. Mas, entre a fase piloto e maturidade de mercado há necessidade de esclarecer assuntos regulatórios e aspectos tecnológicos e econômicos. “Esperamos que as abordagens de reciclagem química e balanço de massa possam ser incorporadas ao cálculo das taxas e metas de reciclagem assim que possível, pois este é o único caminho para aumentar de modo permanente e considerável as taxas de reciclagem, sem sacrificar a qualidade,” complementou Ries.

Para a Storopack, o foco está na sustentabilidade e na produção econômica em recursos. A empresa especializada em embalagens de proteção está comprometida com a alta participação de materiais reciclados no maior número de produtos possível, bem como com a elevada reciclabilidade. “Já estamos gerando aproximadamente 25 por cento das nossas vendas com produtos feitos de materiais reciclados ou renováveis,” disse Hermann Reichenecker. A Storopack também está envolvida em iniciativas para combater resíduos plásticos, tais como a Alliance to End Plastic Waste, Big Blue Ocean Cleanup e a operação Clean Sweep.